segunda-feira, 7 de setembro de 2020

Espírito da Máquina


 É aquela frase batida de Arthur C. Clarke: qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível da magia. Sim, certo, mas... (há sempre um mas à espreita). A tecnologia só se torna indistinguível de sortilégios e encantamentos se quem interage com ela não a conhecer. Se a conhecer, mesmo que não de forma muito profunda, sabe que não há espíritos dentro da máquina, que os símbolos arcanos são afinal código, que as mensagens e ações computacionais não aparecem por impulso divino, mas sim processando informação e cumprindo instruções. É por isto que o nosso trabalho como professores, apostando numa visão abrangente de TIC que leva as crianças a mergulhar nas intricacias do código, robótica, 3D, entre outras vertentes, é tão importante. Quem conhece, sabe que não é magia. E para conhecer, é preciso aprender, mexer, desmontar, desmistificar. Este cartoon do sempre brilhante Tom Gauld resume bem o porquê de ser tão importante estimular as crianças a apropriar-se da tecnologia.

Sem comentários:

Publicar um comentário