quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Sketching...



A curva de aprendizagem no Sketchup está a ser rápida. Já percebi que pelo menos esta turma tem um elevado número de alunos com especial apetência por esta vertente da modelação 3D. As experiências de aprendizagem não se ficam por aqui. Nos próximos passos os alunos irão aprender a criar imagens ou vídeo com algum realismo no Bryce, percebendo que podem repescar para aqui o trabalho que desenvolvem no Doga; mexer com avatares humanóides, experimentar mundos virtuais e se houver tempo antes das necessárias quatro aulas de final de semestre para desenvolver projectos multimédia ainda tocamos na edição de imagem e vídeo.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Scratching


Surpreendido com a rapidez com que os alunos pegam no Scratch e o modificam para o que querem. Também ajuda a preparação prévia noutro tipo de aplicações potenciadoras da criatividade com meios digitais. Essencialmente é bom ver que estes alunos, no segundo ano a trabalhar nas aulas de TIC, têm cada vez menos medo das novidades digitais.

sábado, 26 de outubro de 2013

Do zero ao 3D: Sketching.


Entra-se... por aqui, não é?


Traçar planos e levantar paredes.


Bem, professor, não estou a conseguir fazer uma casa. Então porque não brincas, respondi. Traça linhas, extrude formas, aplica cor e texturas... e saiu uma divertida experiência. Novamente do zero ao 3D, desta vez na variante de modelação arquitectónica. Abordar o Sketchup é sempre interessante pela ponte que permite fazer com os elementos mais áridos da geometria. Nunca me canso de explicar que os pontos - vértices são unidos com segmentos de recta - arestas que formam superfícies que geram volumes... e ouvir o coro de ooohs! e aaah! de surpresa vindos dos alunos quando a ferramenta push/pull (extrusão) do Sketchup transforma um rectângulo num paralelepídedo, e daí por diante numa casa com alguns pormenores. Esta é outra ferramenta que disfarça a complexidade debaixo de um excelente design de interface. É muito fácil para crianças e jovens arrancar o programa e começar a fazer coisas giras. Basta dar o primeiro empurrão que eles tratam do resto.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Sketching


Já conhecias este programa, perguntei ao aluno que estava concentrado a trabalhar após a introdução da turma à modelação 3D em Sketchup. Não, stor, é a primeira vez. Não acredito. Já mexeste nisto de certeza. Não não, stor, é mesmo a primeira vez! E afasto-me, fascinado. Alguns alunos têm uma apetência natural para este tipo de trabalho. Felizmente posso criar um espaço que os estimula. E, nesta turma de 7.º ano, não é o único a começar a fazer coisas interessantes no primeiro embate com o programa.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Scratch(es)


O projecto desta semana para os alunos é experimentar em modo livre vídeo ou imagem fixa, explorando o que aprenderam nas aulas anteriores. É uma forma de parar para respirar e ter um pouco de tempo para explorar livremente dentro do espaço temporal apertado de uma disciplina semestral leccionada de uma forma que tenta cobrir a introdução a diferentes aplicações multimédia, terminar com uma boa almofada de tempo para que cada grupo desenvolva um projecto em tecnologias à escolha, e ainda tenta não esquecer algumas introduções teóricas à evolução histórica da tecnologia digital e à segurança online. Ou como se diz no português vernacular, tenta dar uma no cravo e outra na ferradura. Estes momentos de pausa também são uma boa desculpa para eu ter tempo para instalar aplicações, rever algumas incorrecções no parque informático da sala TIC (geralmente resolvidos com clonagens via Acronis) ou resolver alguns problemas de hardware. Agora, preparando o terreno para as próximas semanas, estou a instalar o Scratch nos pcs. Já faz parte da imagem standard de clonagem mas fazer esse rollout agora é impraticável. Naturalmente os alunos ficam curiosos com a aplicação que está a ser instalada e, mal viro costas, começam a experintar. Stor, isto é giro, dizem enquanto sem qualquer orientação vão experimentando o que fazem os blocos de programação.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Do Zero ao 3D



Diria que este é o método do zero ao 3D em 30 minutos, que é essencialmente o tempo que demoro a introduzir esta aplicação. Inclui demonstrar processos de trabalho e introduzir conceitos como wireframe, textura relativa a materiais e iluminação, coordenação de pontos de vista e perspectiva (o que obriga a falar de projecções ortogonais e métodos de projecção, reparem nisto, caros colegas de educação visual), e coordenadas cartesianas. Cinquenta minutos após iniciar a aula, e introduzir os alunos ao 3D, era este o aspecto da sala. Todos a explorar, construindo objectos de complexidades diversas, alguns com menor dificuldade e outros a encontrarem-se na orientação induzida dos pontos de vista.


E ainda há tempo para umas brincadeiras bem humoradas. Um meu professo ódio assassino a hello kittys e fatiotas cor de rosa é uma velha running joke com os meus alunos, alguns dos quais fazem questão em trazer t-shirts e adereços dessa cor para a minha aula. E presentear-me com assistência felpuda.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Mineworlds


Os Mineworlds estão de regresso. Se bem que no decorrer previsto nas aulas de TIC a elaboração de projectos multimédia de final de semestre ainda venha longe, e os alunos estão a explorar aplicações que posteriormente poderão utilizar para os seus trabalhos finais.


Alguns alunos já estão a mostrar que para além do que estão a aprender em sala de aula aproveitam os tempos livres para desenvolver elementos complexos que querem levar à fase final. Note-se que estamos a falar de adolescentes que, por puro gosto criativo, se dedicam a recriar arquitecturas complexas utilizando o Minecraft como ferramenta de trabalho. Este é um trabalho em progresso, complexo e massivo. A imagem e o modelo no Sketchfab são as exportações para VRML. No ambiente de jogo a escala é tão grande que ao entrar na catedral o LOD não nos mostra a maior parte do interior. Semanalmente, no final de cada aula, estes alunos vêem ter comigo e não me deixam sair enquanto não me mostram e explicam os detalhes que estão a adicionar.

(Pois, os meus alunos deixam-me babado. É um privilégio trabalhar com eles e um orgulho saber que o que ensino lhes é significativo.)

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

WIP


Sneak preview. Trabalhos em progresso, novidades a desvendar em breve...

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Alunos Impacientes


O novo ano em TIC mal começou. Ainda mal passámos a fase de abordagem teórica aos conceitos elementares e segurança digital (técnica e online) mas os alunos já me estão a perguntar que trabalhos podem fazer para a fase final de trabalho multimédia. Eu vou-lhes dizendo para ter paciência, que este é um novo ano e irão descobrir outras tecnologias digitais para além das que abordaram no ano passado. Estou muito curioso para ver o que é que eles fazem com o Scratch, por exemplo.


Mas tenho alunos teimosos. Hoje dois insistiram-me em mostrar o trabalho que já estão a fazer para entregar no final de janeiro. E o queixo caiu-me. "Stor", disseram-me, "estamos a mostrar-lhe já que é para saber que somos nós que estamos a fazer e que não sacámos um mapa da internet (...) isto está a dar uma trabalheira..."

Pudera. Estão, literalmente, a construir um mundo pedra sobre pedra no Minecraft. Em casa, nos tempos livres, partilhando o mapa de jogo via internet.


Confesso-me privilegiado por ter os alunos fabulosos que tenho.