sexta-feira, 21 de abril de 2017

Workshop: Aplicações Educativas para Tablets


No âmbito do projeto Fab@rts, cujo apoio da Rede de Bibliotecas Escolares nos permitiu dotar a biblioteca da escola com um acervo de quinze tablets e uma impressora 3D, estamos a trabalhar a integração de tablets em contexto educacional. Esse trabalho tem sido desenvolvido essencialmente pela coordenadora do centro de recursos e equipe de professores bibliotecários, enquanto nós desenvolvemos o lado maker com impressão 3D e robótica na biblioteca.

O projeto envolve momentos de formação, alguns dos quais já desenvolvidos, mas que neste final de abril e mês de maio irão entrar em aceleração. Em preparação, dois workshops e uma acção de formação de quinze horas sobre impressão 3D (provavelmente, a primeira a ser desenvolvida em Portugal). Esta semana decorreu um workshop sobre aplicações educativas para tablets. Estas formações estão focalizadas para docentes do Agrupamento de Escolas Venda do Pinheiro e do concelho de Mafra, desenvolvidas em parceria com o Centro de Formação Associação de Escolas Rómulo de Carvalho.


A equipe de professores bibliotecários, representada pelos docentes Jacqueline Duarte e Pedro Moura, demonstraram um grande conjunto de aplicações para tablets concebidas para a educação. Apps de leitura, geradores de ideias para textos, pergunta/resposta colaborativa, mapas conceptuais ou visualizadores de constelações foram as abordadas nesta sessão. Podem consultar aqui uma lista de todas as apps divulgadas no workshop.

Houve algum tempo para exploração das aplicações, de forma rápida. Por exemplo, os participantes puderam experimentar a criação de um mural coletivo no Padlet. A seleção de aplicações baseou-se no trabalho de abordagem ao iPad na sala de aula por Carlos Pinheiro, que já desenvolveu um workshop sobre esta temática na nossa escola.


Da nossa parte, preferimos apostar no desenvolvimento de metodologias e atividades com tablets Android. O seu menor custo significa maior acessibilidade e democratização no acesso, bem como estratégias BYOD onde os docentes possam recorrer a equipamentos dos alunos, ultrapasando a falta na escola de tablets em número suficiente para cobrir uma turma. Nas aplicações demonstradas, mudámos o foco da recolha/processamento/apresentação de informação ou treino de competências para apps utilitárias ou criativas. Não desvalorizamos estes aspetos, mas o foco fundamental das TIC em 3D/Fab@rts é o uso de ferramentas digitais como elementos de expressão criativa. Demonstrámos o poder do Feedly como agregador RSS para fontes de informação, o My Maps.me como solução GPS com mapas offline, Autodesk Sketchbook para desenho, e as apps Form It e 3DC.io para modelação 3D. O pensamento computacional foi representado pelo Tynker, com voos de drones incluídos para mostrar a tangibilidade da programação.


A sessão foi intensiva, mais focada no dar a conhecer recursos do que aprofundar a sua utilização. É um princípio, que esperamos desenvolver melhor em momentos futuros.


Esta formação também nos obrigou a procurar soluções para apresentação de tablets com projecção. Percebemos que as apps de screen mirroring não são adequadas, com latência elevada entre o ecrã do tablet e a imagem projectada no computador. Não há, tanto quanto sabemos, adaptadores HDMI ou VGA para tablets Android genéricos. O que nos permitiu desenvolver esta formação, mostrando as aplicações a correr no tablet projectadas em tela, foi o Vysor, uma aplicação do browser Chrome. Recorre ao ADB para interagir com o dispositivo Android. Requer a instalação da app no dispositivo, os drivers ADB para Windows, app no Chrome, e um cabo usb. Para correr e espelhar o tablet no computador, é necessário ativar o modo de depuração USB nas opções de programador do Android. A versão gratuita faz espelhamento de ecrã em baixa resolução, a versão paga permite melhores resoluções e utilização completa do dispositivo android no computador. Em projecção notámos alguma latência, mas não nos surpreende. Esta app foi concebida para apoio a programadores e não como solução de projecção.

Sem comentários:

Publicar um comentário