quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Prémios Inclusão e Literacia Digital

DSC_5385

Decorreu ontem nas instalações do Teatro Thalia a cerimónia de entrega da primeira edição do Prémio Inclusão e Literacia Digital, promovido pela Rede TIC e Sociedade/Fundação para a Ciência e Tecnologia. O projeto As TIC em 3D, desenvolvido no nosso Agrupamento, foi um dos distinguidos com este prémio. Para o receber estiveram presentes o Diretor do Agrupamento, Professor António Felgueiras, e o Professor Artur Coelho, dinamizador do projeto.

DSC_5321

Para além da cerimónia de entrega de prémios, houve espaço para uma exposição dos vários projetos distinguidos. Destes, o nosso e o clube de robótica do Agrupamento de Escolas D. Dinis, foram os únicos diretamente atribuídos a escolas. Dos restantes projetos premiados dentro das áreas ligadas à pedagogia, salientamos as várias iniciativas do Centro de Competências Entre Mar e Serra, com o qual colaboramos em iniciativas e formação, e o EduScratch, que já despertou o interesse na aprendizagem de programação nos alunos do nosso Agrupamento. Destaca-se também o projeto Taccle2 com os seus guias de uso pedagógico de tablets na educação, preciosa ajuda a um projecto nosso ainda muito embrionário que visa tirar partido dos tablets dos alunos para diminuir a assimetria do uso de ferramentas digitais na sala de aula.


A receber o prémio entregue pela Secretária de Estado da Ciência e pelo Vice-Presidente da Fundação para a Ciência e Tecnologia (foto: Rede TIC e Sociedade).


À entrada, o nosso espaço despertou atenções. Nota: teremos que investir numa daquelas jiga-jogas de suporte para cartaz. Ou então imprimir uma...  (foto: Rede TIC e Sociedade)


A explicar o nosso trabalho e as bases da tecnologia de impressão 3D, com o Professor António Felgueiras (foto: Rede TIC e Sociedade).


Durante a exposição a bee imprimiu uma versão 3D do logotipo da Rede TIC e Sociedade (foto: Rede TIC e Sociedade).

Em exposição mostrámos um pequeno apanhado das várias vertentes do nosso projeto, e o passo seguinte, possibilitado graças a este prémio: a impressão em 3D, utilizando uma beethefirst que já está a ser implementada em sala de aula nas TIC e projetos interdisciplinares, e será brevemente posta a serviço da comunidade através de demonstrações e possibilidade de impressão/prototipagem de modelos por elementos da comunidade local.

Esta distinção junta-se a outras que o Agrupamento de Escolas Venda do Pinheiro tem recebido, como a distinção Escola Voluntária, selo de qualidade eTwinning,  Eco-Escolas, e outros prémios e iniciativas que têm distinguido projetos dinamizados por docentes de todos os ciclos abrangidos por este Agrupamento. Todo um trabalho que demonstra o empenho em propiciar valor educativo acrescentado e aprendizagens estimulantes aos nossos alunos.

Já fizemos por aqui agradecimentos, mas é bom repeti-los. Primeiro, para aqueles que estão por detrás da Rede TIC e Sociedade e que puseram de pé esta iniciativa (entre os quais se encontra uma antiga professora nossa dos tempos da ESE de Santarém que ficou visivelmente orgulhosa de encontrar um ex-aluno distinguido numa iniciativa que ajudou a criar). Também à ANPRI, que desafiou a Rede TIC e Sociedade a abrir espaço a clubes e outras iniciativas das escolas, cujo esforço foi recompensado com a distinção de projectos escolares. À direcção do Agrupamento de Escolas Venda do Pinheiro, cuja visão abrangente, cuidado na manutenção de uma cultura de trabalho positiva e motivadora, e aposta nas mais valias pedagógicas dentro de uma educação que possibilite aos nossos alunos tomar contacto com realidades além do meio local, possibilita a abertura que dá espaço e incentiva este e outros projectos. A todos os professores que responderam aos desafios que formam um corpus desenvolvido num trabalho de anos, informal mas levado muito a sério. E, finalmente mas em primeiro lugar, a todos os alunos que quer em projectos quer nas áreas curriculares de Educação Visual e Tecnológica e Tecnologias de Informação e Comunicação participaram, descobriram o 3D, criaram trabalhos em muitos casos espantosos e, essencialmente, aprenderam a ir mais além dos seus limites. É por isto que dizemos, tantas vezes, que este prémio não é de um professor, mas de todo um grupo de elementos que luta por uma escola pública de qualidade e culturalmente rica.

Se a distinção sabe muito bem, com a consequente validação de ideias e processos de trabalho, confessamos que o que mais nos alegra neste momento foi o podermos adquirir equipamento que já está a dar uma nova dimensão ao projecto. Isto é um trabalho de continuidade, criado para o dia a dia educativo, e não um projecto pontual delimitado no tempo. Inovar e procurar novas vertentes de actuação é essencial para que continue pertinente, a despertar o interesse e encantar os nossos alunos.

Sem comentários:

Publicar um comentário