quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Game on


Quando recebo mensagens destas sei que os meus objectivos estão a ser cumpridos. Mais do que ensinar crianças a utilizar computadores interessa-me despertá-los para as potencialidades criativas dos meios digitais. Simplificar o que parece complicado, abrir horizontes, mostrar possibilidades para além do uso do computador como ferramenta de consumo de conteúdos. E, no fundo, acelerar um processo de apropriação individualizada que muitos dos que são agora alunos já estão a fazer em plataformas sociais que lhes permitem exprimir as suas ideias, experiências e sentimentos (porque, enfim, são adolescentes). Quando um aluno mostra interesse para lá do espaço da aula significa que as técnicas ou ferramentas adquiriram importância suficiente para competir no superlotado espaço de atenção. Para alguns alunos o Scratch ou o 3D competem e ganham a outras ofertas culturais e lúdicas. Não todos, porque cada um é como cada qual, tem os seus interesses e desenvolver-se-á nas vertentes que escolher. Felizmente somos todos diferentes.

 Se isto acontece, é porque estão a fazer algo que gostam e os desafia. É esse um dos objectivos deste projecto. Dar algo a todos, mostrar as bases, e possibilitar que aqueles que tenham maior apetência despertem um pouco mais cedo os seus talentos com estes empurrões.

Entretanto, que tal uns joguinhos?


Os alunos do 8.º B foram na última aula as primeiras vítimas das alterações que têm sido feitas à rede da escola, que possibilitam agora que todos os alunos utilizem os meios informáticos com credenciais individuais, espaços personalizados e uma pequena cloud para arquivar os seus ficheiros. Não tiveram tanto tempo como o desejável para desenvolver os seus projectos, mas mesmo com condicionantes de tempo alguns surpreenderam.


Por isso, let's play?

Sem comentários:

Publicar um comentário