domingo, 26 de março de 2017

M300 É Viciante


E olhe, já estou a usar isto nas aulas com os meus alunos. O melhor comentário que ouvi, ontem, no final da ação de formação de modelação 3D com Sketchup Make, e vindo de um dos formandos que senti ter tido mais dificuldade nesta aprendizagem introdutória. Na primeira sessão, pensei que fosse desistir...


Terminámos mais um desafio colocado pela ANPRI, partilhando o que sabemos sobre modelação 3D com Sketchup com professores das áreas de Informática e Educação Visual. Com uma adição, partilhando também conhecimentos sobre impressão 3D. A formação decorreu nos espaços do Agrupamento de Escolas D. Dinis, em Lisboa, que foram excelentes anfitriões, e ainda cederam a sua Prusa i3 para as atividades deste segundo dia. Com previsão de chuva, não quisemos arriscar trazer a BEETHEFIRST do AE Venda do Pinheiro, como estava planeado, por não termos forma de a proteger dos elementos. A ironia é que, ao contrário do previsto, esteve um dia inteiro de sol em Lisboa...


Não somos experts em Sketchup. O que partilhamos é o resultado de um longo processo de aprendizagem como auto-didactas, e também a experiência prática de trabalho em sala de aula. A formação está estruturada num conjunto de ferramentas fundamentais e desafios concretos para as dominar, dando tempo aos formandos de experimentar, criar e aprender. A novidade nesta foi a ligação, pertinente, à impressão 3D. Um dos exercícios dos formandos foi aproveitado para criar objectos impressos, que seria desejável imprimir na sessão, mas já sabemos que na impressão 3D a gestão de tempo é fundamental, por isso imprimimos com antecedência.

Parte das atividades mostraram (infelizmente, sem ainda um exercício prático, mas lá chegaremos) como preparar uma impressão 3D a partir de um modelo do Sketchup, combinando plugins, limpeza e correção manual, validação, remeshing, deteção e correção de erros com o Netfabb e o Meshlab. Quinze horas intensas, com muito trabalho produzido pelos formandos, e sempre recompensadoras.


E... será desta que conseguiremos imprimir com uma Prusa? Estamos habituados à usabilidade das impressoras e software da BEEVERYCREATIVE, trabalhar com impressoras mais DIY é algo que queremos aprofundar. A impressora do Robotis, o dinâmico clube de robótica da D. Dinis, mostrou-nos que ainda há muito que temos de aprender sobre impressão 3D. 


Ou seja, ainda não foi desta que conseguimos uma impressão numa Prusa. Mais por uma questão de tempo, o Cura também ajuda muito a simplificar o processo de impressão. Com as falhas aprende-se (e o descolamento deveu-se a filamento enrolado na bobine).


Não resistimos. No espaço do Robotis, deparámos com esta impressão da recriação que fizemos do símbolo do projecto Programação 1CEB. O #robotarmy ainda existe.

Mais um desafio terminado, com formandos satisfeitos e curiosos. Isto é viciante foi outro comentário que ouvimos nas sessões. Agora,

M104 S0
G28 X
G28 Z
G1 Y65
G92 E.

Ou seja, parámos, apresentámos, e estamos prontos para novos desafios. Que serão já no próximo dia 1 de abril, na Mafra LAN Party.

Sem comentários:

Publicar um comentário