domingo, 29 de abril de 2018

Festival Nacional de Robótica 2018


Decorreu de 25 a 29 de abril em Torres Vedras a edição de 2018 do Festival Nacional de Robótica, prova portuguesa da Robocup. A escola de S. Gonçalo, com o seu clube de robótica, foi a anfitriã da prova, este ano, numa organização que contou com o apoio da ANPRI, Câmara Municipal de Torres Vedras e Direção Geral de Educação. Estes organizadores focaram-se em ir além do modelo tradicional deste festival, complementando as competições oficiais com provas pensadas para os mais jovens, como a RobôOeste, um extenso programa de quarenta workshops organizados pela ANPRI, presença de empresas e associações, e mostra de projetos de escolas. O Lab Aberto, com o qual colaboramos, esteve presente. Este ano optámos por não entrar na competição RobôOeste, e estivemos presentes durante os dois dias da mostra de projetos de Clubes de Programação e Robótica.


A  nossa presença no Festival iniciou-se dia 26, com dois workshops de introdução à modelação e impressão 3D. O pedido original era para realizarmos um, mas a grande adesão dos visitantes a todas as sessões obrigou a desdobramento. No nosso caso, foram duas sessões, uma com mais de trinta participantes, e outra com dezasseis. 


Dia 27 chegámos como clube de robótica. Em mostra e demonstração, as nossas valências de impressão 3D, modelação 3D, pixel art com SenseHat para Rasperry Pi, eletrónica com Little Bits, robots Anprino e drones.


Mais importante do que estarem presentes no espaço da escola, era os nossos alunos visitarem o festival e descobrirem o que se faz neste tipo de robótica. As competições de futebol robótico deixaram-nos especialmente curiosos.


Demos uma pequena ajuda aos workshops do Lab Aberto, e foi uma excelente surpresa ver os nossos alunos completamente à vontade a mostrar como se modela em 3D em tablets e computadores aos participantes.


Como somos as TIC em 3D, tínhamos de dar outra dimensão ao logotipo do festival. Onshape foi a ferramenta escolhida para transformar a mascote do FNR2018 em 3D.


Também fizemos variante mais plana, que se esgotou depressa. Mal terminava a impressão, ia logo parar às mãos dos visitantes.


No terceiro dia de presença do evento, estiveram presentes nove alunos do clube, com ajuda de alguns encarregados de educação. Desafiámos os mais novos, para lhes dar a primeira experiência neste tipo de momentos. Chegaram ao final do dia com os olhos a brilhar.


A manhã de sábado foi calma na zona do festival.




Este segundo grupo visitou o espaço do Lab Aberto. Ficaram encantados com as experiências com foguetões, electricidade e física.


À tarde o festival encheu-se de visitantes, e os nossos alunos mostraram o que valem. Foi um daqueles momentos que aquecem o coração. O nosso clube de robótica não é muito formal, e não costumamos treinar os alunos para estes eventos. Falem do que mais gostam de fazer no clube, partilhem o que vos apaixona, são as únicas instruções que lhes damos. Fazem-no, e aguentam-se a explicar o que se faz nas atividades que não costumam experimentar. É animador ver os de 3D a mostrar o que se faz com o SenseHat para Raspberry Pi, drones ou Littlebits. Não saem explicações perfeitas, mas mostram o enorme gosto que têm em desenvolver atividades num clube que funciona na biblioteca da escola, à hora de almoço, sem obrigações de frequência e onde se tenta que cada um explore o que mais lhe interessa. Temos ainda muito caminho que trilhar enquanto clube, mas sentimos que a ideia de trabalhar como atelier/makerspace funciona.

Depois destes três dias estimulantes, vamos começar a pensar no próximo desafio. Entre o Festival Nacional de Robótica e a Feira das Ciências de Mafra, conseguimos que a maioria dos alunos do Clube de Robótica tivesse a sua primeira experiência de eventos públicos, com interação com visitantes. Surpreenderam-nos pela positiva, pela atitude que mostraram a falar do que fazem, mesmo quando não é a sua área de interesse. Mostraram que apesar da informalidade do clube, estão atentos ao que fazem, empenhados, e a aprender muito mais do que nós julgávamos que lhes estávamos a ensinar. Segunda feira, na próxima sessão do clube, vamos lançar um novo desafio. O próximo evento é a feira tecnológica eTech, em Setúbal. Agora que os nossos alunos já mostraram que se aguentam em público, será que conseguimos criar uma presença mais interativa neste eventos? Vamos lançar-lhes o desafio, à sua criatividade e entusiasmo.

Está a valer mesmo a pena aposta nestes alunos.

Sem comentários:

Publicar um comentário