sábado, 10 de outubro de 2015

Drive forward


Não é, de facto, um investimento leve para as escolas. Os kits para montar mitigam os preços, mas as soluções desktop consumer que se adequam mais aos níveis de ensino elementares são bastante caras, tendo em conta o pouco que se sabe sobre o potencial da impressão 3D na sala de aula. Potencial que se intui, que se sente como importante e mais valia no processo de ensino e aprendizagem, mas que está ainda muito por estudar. Antes de adquirir, há que pensar e reflectir sobre valências, usos e integração curricular. E mesmo depois de se ter a impressora a imprimir na sala de aula essa reflexão continua e reforça-se.

De Barnatt, C. (2013). 3D Printing: The Next Industrial Revolution. Explaining The Future.

Sem comentários:

Publicar um comentário