sábado, 24 de outubro de 2015

Scary Monsters and Super Creeps


O que é que eu andava a pensar quando achei que era possível ter impressões 3D a tempo do Halloween é uma ideia que me tem assombrado neste últimos dias. A gestão de tempo é muito importante quando se trabalha com uma tecnologia que não se compadece com tempos lectivos, e sendo que o objectivo é que os alunos a utilizem ainda há que contar com o tempo de aprendizagem de ferramentas. Algo difícil de gerir no arranque do ano lectivo e semestre de TIC.


Nestas coisas, são os trabalhos mais simples mas menos criativos os primeiros a ficar prontos. Devo dizer que os alunos envolvidos, três turmas de sétimo ano, têm sido fantásticos. Em duas aulas passaram do desconhecimento completo do que era desenho vectorial e uso do Inkscape para verdadeiros ases das curvas de Bézier e nós. Tão ases que demonstram que estou muito enganado quando, nalguns casos, os aconselho a trabalhar desenhos mais simples porque penso que o que se propõem fazer é demasiado difícil para as suas aptidões.

O tempo é implacável, e já dei por mim a ficar nos intervalos a ajudar a finalizar alguns projectos para poder ir imprimindo ao longo da próxima semana. O tempo de impressão não é demorado, serão marcadores com espessura de 1 mm a 1,5mm e no máximo 100 mm no eixo mais comprido, que ficam prontos entre dez a trinta minutos. O que tem prolongado este projecto é a teimosia do professor, que insiste que a maioria dos alunos tenha tempo para dominar, em níveis introdutórios, o desenho 2D no Inkscape (sendo esses princípios transferíveis para Corel ou Illustrator, note-se). O professor já foi recompensado com uns adoro isto e já treinei em casa, mas anda algo preocupado com a aproximação do Halloween. Um destes dias faço um apanhado gráfico do que os alunos têm andado a fazer com o Inkscape. Surpreende. Resta encontrar forma de os introduzir no Tinkercad. Creio que precisava de mais uma semana para fazer isso de forma eficaz, deixando-os autónomos nestes processos.


A ideia central deste projecto é utilizar o Halloween como tema inspirador para criações em impressão 3D, introduzindo a tecnologia e técnicas de trabalho específicas. Estou a perceber que para ser verdadeiramente bem sucedido, precisava de ter destacado mais tempo previsto para aprendizagem dos alunos. Não é que não seja possível levar avante um desafio destes, mas quando se quer fazê-lo colocando as mãos dos alunos em todo o processo, duas aulas não chegam.

Mesmo com estes contratempos, arranja-se um minuto para fazer os alunos felizes. Pelo menos, foi esse o olhar que li no rosto das alunas responsáveis por este morcego que, note-se, não é o trabalho final delas mas sim um projecto de aprendizagem. Achei que precisava de concretizar algo, para dar aos alunos a noção exacta do que estão a trabalhar. Não é todos os dias que se chega a casa com algo que se fez e imprimiu na escola...

Sem comentários:

Publicar um comentário