sábado, 31 de outubro de 2015

Spooky Bookmarks


Quase a terminar este projecto, que misturou uma actividade já habitual na escola, o comemorar o halloween, com impressão 3D. O objectivo era recriar marcadores de livros utilizando desenho digital e modelação 3D, criando pequenos objectos temáticos com volumetria reduzida. As pequenas dimensões e espessura aceleram o tempo de impressão, permitindo imprimir um número razoável de trabalhos de alunos de três turmas (cerca de noventa, para ser mais específico) em tempo útil.


Os trabalhos produzidos, em cerca de três aulas, variam de acordo com as capacidades gráficas dos alunos. Alguns utilizaram criações suas, outros optaram por pesquisar imagens. Neste tipo de actividades os trabalhos pessoais são mais enriquecedores, mas o tempo reduzido, quer da calendarização quer das aulas, impede que se vá mais longe.


O factor tempo manifestou-se especialmente na finalização dos projectos. Era desejável que todos os alunos percorressem o caminho do desenho vectorial à exportação em STL. Alguns conseguiram-no, levando o seu trabalho da traçagem à importação de SVG no Tinkercad com controle de dimensões e exportação para impressão. Para que este processo fosse melhor consolidado na generalidade dos alunos seria preciso mais uma aula. Mas como não terminámos por aqui o uso do Tinkercad, haverá outras oportunidades para explorar melhor estes aspectos.


Algo que os alunos atingiram plenamente foi a capacidade de desenhar em 2D com ferramentas vectoriais. Curvas e nós passaram em pouco tempo de desconhecido a ferramenta habitual. 


As escalas dos objectos estavam limitadas a 1 mm no eixo Y e 100 mm no eixo horizontal maior (podendo ser o X ou o Z, dependendo do formato do desenho). Como os alunos trabalham habitualmente a pares, há que imprimir duas vezes o mesmo objecto. O número de computadores disponíveis na sala é inferior ao número de alunos por turma, o que obriga a gerir desta forma as aulas práticas.


Parte-se do desenho, enquadrado numa actividade mais abrangente. Depois de utilizados como base para o trabalho em TIC, foram entregues a Inglês para um concurso e exposição. 


Traçar, corrigir e unir/intersectar foram as operações necessárias para transformar as ideias em desenho digital.
 Apesar da especificidade das dimensões, alguns trabalhos exigiram um tratamento diferente de volumetria. Como o Tinkercad unifica as formas que lê num ficheiro SVG, o processo de trabalho passou pela produção de ficheiros que separavam os elementos a extrudir. Desta forma conseguiu-se controlar a espessura dos diferentes elementos, modificando o relevo do marcador de livro. Se estamos a trabalhar com impressão 3D podemos ir mais além do plano. Neste processo, os constrangimentos de tempo obrigaram a mais intervenção do professor.


Sendo objectos planos e leves, estes marcadores de livros não gastam muito filamento. São um bom projecto para introduzir a impressão 3D e aproveitar restos de filamento. Neste escolheu-se o halloween como tema. Qual será o do próximo semestre, cujas turmas de sétimo ano já irão beneficiar da experiência adquirida com esta actividade introdutória?

Em breve deixarei aqui uma contextualização da actividade, traçando a metodologia, objectivos e metas para que seja mais facilmente replicável. Este é um projecto simples e relativamente rápido, que motiva os alunos pela incredulidade inesperada de segurarem nas suas mãos algo que criaram digitalmente. Daqui espero consolidar estas aprendizagens noutros projectos práticos, com menor incidência na impressão 3D. O tempo disponível para TIC é reduzido e há que o aproveitar da melhor forma possível com uma diversidade razoável de vertentes de uso e experiências de aprendizagem que não incidem numa ferramenta ou utilização muito específica.

Sem comentários:

Publicar um comentário