sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Acham que quando faço isto estou a jogar...


É habitual invadirem-me a sala fora de horas. São alunos em busca de dois dedos de conversa, ou à procura de solução para um problema técnico. Outras vezes querem-me mostrar o que vão fazendo. Não me chateio com isso. Nos intervalos pode ser complicado, porque há outros afazeres, mas fora da aula faço questão que a sala que cooptei como gabinete de trabalho tenha sempre a porta aberta. Ficam sempre curiosos com a infra-estrutura de servidores e os racks de routers e switches. Um destes dias tenho de tirar um dos projectores de slides da prateleira para lhes mostrar como se projectavam imagens antes da ubiquidade dos videoprojectores. É das perguntas mais recorrentes.


Tudo isto para contextualizar uma agradibilíssima invasão que me fizeram hoje, enquanto andava atarefado no intervalo a verificar as finalizações dos projectos finais dos alunos. A ex-aluna que tem andado nos seus tempos livres a explorar por si o Sketchup veio mostrar mais uma iteração da sua casa meio indiana. Meteu o nariz num test render de um trabalho de animação em Bryce de um aluno de 7.º ano e comento lembro-me vagamente do professor me ter ensinado isso....e depois sai, regressa com uma pen e mostra-me como vai o seu projecto de estimação. Ainda não sei bem o que fazer com o resto das divisões, disse enquanto eu me espantava com o cuidado tido com os pormenores das zonas que já terminou. É particularmente notável porque ela modela tudo de raiz.


Fiquei apaixonada pelo Sketchup, referiu quando lhe perguntei se se interessava por arquitectura, e gosto muito de desenhar roupas, referindo também que está muito intrigada pelo Marvelous Design, uma aplicação de modelação específica para criar meshes de roupas. Mas acham que quando faço isto estou a jogar. No entanto, esta é uma área de interesse em que se empenha e tem muito gosto. Espero que não desista disto, porque o talento está lá e a vontade de o desenvolver também. Quantos adolescentes conhecem que no tempo livre se dedicam a modelar cozinhas com todos os pormenores? No visualizador inserido do Sketchfab podem ver melhor e em 3D como vai este belíssimo trabalho. E sim, desta vez não me fiquei pelos elogios. Critiquei a escadaria que de momento não faz ali sentido, a menos que o passo lógico de estender o projecto seja dado. Foi mais desafio que crítica, enfim.


Tenho andado numa troca de mensagens de email com um dos elementos do Sketchfab, o repositório de modelos 3D onde deixo os melhores trabalhos criados pelos alunos no âmbito do 3D Alpha. It's so nice to see that you're teaching 3D design to youngsters. It's a growing skill, and I think a really important one. I actually didn't realize your students were at this age range :), observou. Também partilho desta opinião. O que para mim começou como uma curiosidade estética tem hoje outras dimensões. Se olharmos para o movimento maker e as possibilidades trazidas pela progressiva massificação das impressoras 3D, bem como dos nichos económicos de criatividade em game design, animação e outras vertentes do mundo digital percebemos que fundamentos sólidos de trabalho com ferramentas digitais de design (do 3D ao video) e introdução à programação poderão ser uma mais valia para os alunos. Note-se que no contexto do ensino básico o objectivo não é nem poderá ser formar animadores 3D ou algo similar, mas sim mostrar possibilidades e abrir gavetinhas mentais no cérebro dos alunos que, mais tarde, lhes possam ajudar a decidir o que fazer nas suas vidas.

Sem comentários:

Publicar um comentário