quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Persistências


O Minecraft é um jogo muito popular entre os alunos cuja vertente educacional tem já diversas vertentes de exploração. A mim interessa-me o seu uso como ferramenta de expressão criativa e incentivo os fãs do jogo a criar nele os seus projectos finais. Funciona com o lego, em versão digital, e é intrigante ver o esforço e atenção ao detalhe que os alunos colocam nas suas construções. Note-se que há aqui vários domínios conjugados. O lado lúdico da criatividade, experimentando e criando sem pressões; a percepção mental do espaço que tem de ser invocada quando se trabalha com modelos tridimensionais; o esboçar, construir, destruir, aperfeiçoar, no fundo parte do processo de design; e nos casos mais colaborativos o vencer dos desafios técnicos de criação e manutenção de servidores de jogo. Nada mau para o que aparenta ser apenas um jogo.


 O que é criado no minecraft fica no jogo, mas há formas de contornar esse problema. Pelo YouTube pululam vídeos que mostram périplos por mundos elaborados. O Sketchfab criou um add-on para o jogo que permite exportar directamente para este site de visualização de 3D em webGL. Para outros usos há diversas aplicações que extraem as meshes criadas para exportação em formatos comuns. Estes renders foram criados extraindo os objectos criados por dois alunos no seu mapa de jogo utilizando o Mineways, que exporta em obj para aplicações de modelação e animação 3D e VRML para impressão tridimensional no Shapeways.


Uma importação para o Bryce, alguns renders longos porque o algoritmo de renderização do Bryce é notoriamente ineficaz a gerir tempo e as texturas detalhadas obrigam os processadores a trabalhar no duro. Mas os resultados compensam.


Um pormenor interessante sobre este trabalho é a persistência dos dois alunos que o estão a criar. Para além da vila que estão a construir ainda inclui uma gigantesca catedral. Essa revelo-a amanhã. Mostraram-me as primeiras versões em outubro e suspeito que ainda não tenham terminado...

Sem comentários:

Publicar um comentário