sábado, 14 de janeiro de 2017

Workshop Introdução à Impressão 3D - Batalha


A salinha arrumada, tudo pronto a começar. Hoje, casa cheia com quinze formandos, pelo Agrupamento de Escolas da Batalha, num workshop que partiu de um desafio do professor Marco Neves para partilhar com ele a nossa experiência de uso das impressoras 3D BEEVERYCREATIVE, bem como modelação, validação de mesh e potencial pedagógico desta tecnologia. É um pouco ingrato meter tanta coisa numa sessão de três horas, mas consegue-se.

Ao longo da sessão, abordámos:
- tecnologia de impressão 3D, explorando o hardware e software;
- uso e manutenção de uma impressora BEEINSCHOOL;
- integração web/pc/tablet do FormIt;
- introdução à modelação 3D com Tinkercad;
- experiência pedagógica vinda do terreno, das práticas desenvolvidas no âmbito das TIC em 3D;
- problemáticas intrínsecas da impressão 3D, ao nível da mesh, modelo ou hardware;
- modelação 3D com Sketchup;
- validação e correcção de mesh com netfabb (manual e automática) ou Meshlab (algoritmos de correcção e redução de polígonos);
- pesquisa de modelos 3D em repositórios (Thingiverse, Sketchfab e Grabcad);
- desenho 2D em Inkscape com extrusão 3D no Tinkercad;
- partilha de recursos e tutoriais.

Ufa! A lista é longa. De fora ficaram as aplicações para tablet, embora tenha falado do seu potencial durante a sessão.


No final da sessão, tudo mais desarrumado e usado. É o espírito.

Tenho razões fortes para desenvolver estas sessões desta forma. Não quero mostrar a impressão 3D como algo muito fácil, que seja só ligar a impressora, sacar uns modelos da net, e já está. O seu verdadeiro potencial é despertado pela modelação, e como professores, creio termos o dever de estimular os alunos para a criação e resolução de problemas. O 3D permite isso, com interdisciplinaridade elevadissima. Ao falar de modelação e impressão, fala-se de matemática, geometria, património, TIC, história de arte... adoro sublinhar que a modelação 3D por primitivos, agregando formas geométrica para criar figuras representativas, é uma expressão contemporânea das estéticas de geometrização na representação do real que vêm não do abstraccionismo, mas do renascimento, com o desenvolvimento das leis da perspectiva. Que a própria noção de perspectiva e representação em espaço tridimensional, tão fundamental em 3D, é herdeira de métodos de representação que nos vêm da antiguidade clássica, das tradições grego-romana e egípcia.

Nestas sessões, tanto se fala de pavimentações em malha poligonal como de Giotto. O pintor, não a marca de tintas escolares.

Uma manhã recompensadora, apesar de gelada (apanhei zero graus a caminho da Batalha), que ainda me permitiu uma rápida revisita ao alto manuelino do mosteiro, tendo como anfitriões na escola da Batalha os fantásticos Marco Neves (mestre da programação em android) e Miguela Fernandes (grande mestre do eTwinning). Espero que tenham gostado tanto como eu!

Sem comentários:

Publicar um comentário